segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Se não fosse informático

Sempre gostei de perceber a maneira como as pessoas pensam
São várias as vezes que em conversas faço perguntas sem pés nem cabeça só para ver como funciona o cérebro daquela pessoa ou a ideia que tem sobre determinado assunto. Nada melhor do que uma pergunta invulgar, assim a pessoa é realmente obrigada a pensar.

Daí a área de psicologia me fascinar, desde a criminal e perceber o que raio passou pela cabeça daquelas pessoas antes de fazerem certos crimes à psicologia clínica e perceber o que as pessoas passaram e viveram até chegar onde chegaram.

12 comentários:

c. disse...

do que conheço de psicologia e de psiquiatria, em vez de facilitar, torna tudo mais complicado. Sabes quando tens muito conhecimento e cada vez pões mais hipóteses em jogo? Mas sim há coisas interessantes... Podes ler um livro do João dos Santos: Se não sabe porque é que pergunta? No fundo para perguntar há sempre uma ideia sobre isso :)

zimbora disse...

se a informática começar a correr menos bem, segues essa área :p

faa aa disse...

@c.
Sim, demasiada informação torna tudo complexo demais mesmo quando é necessário ser-se simples.
O livro parece interessante :)

@zimbora
ahah, como detesto estudar, não me vejo a fazer mais nenhum curso! :D

Traços e Esboços de uma Sombra disse...

Então compreendes o meu fascinio por Psicologia Criminal! Só que com uma diferença: eu fui maluca o suficiente para ter mesmo vindo para Psicologia.

Inês de Sousa disse...

Também queria estudar esse género de psicologias.

Queria tanto que fui assistir a umas aulas de faculdade de um colega. Ia adormecendo em todas as aulas a que fui e decidi que ali não me safava.

Na prática pode ser muito giro, a teoria não me convenceu.

Rafeiro Perfumado disse...

Não sou informático mas também gosto de ver as reacções das pessoas, provocadas ou não. E é tão bom ver como um simples sorriso consegue levar outra pessoa quase à loucura... Abraço!

faa aa disse...

@Traços e Esboços de uma Sombra
Percebo, claro que sim, o mal é que quando saíres daí vais fazer nada. Pelo menos em Portugal :/

@Inês de Sousa
ahah, não tenho dúvidas, é tudo muito teórico, muito falado. Algumas cenas devem ser interessantes.. mas outras..

@Rafeiro Perfumado
Hoje acordaste bem disposto! xD

Traços e Esboços de uma Sombra disse...

Pois é problemático arranjar trabalho, mas ainda me falta uns anitos.

Pois, Ines e faa, as aulas conseguem ser extremamente secantes, é preciso ter imenso amor a psicologia, porque os profs vao garantir que se nao gostares vais desistir a meio. Eu tenho a regra de "adormeço, não vou", excepto as praticas (em que uma pessoa também adormece, mas leva falta).
Demora-se muito tempo até chegar as partes fixes, que toda a gente idolatra no curso de Psicologia. A minha sorte é gostar da area de Neurociencias, levamos com isso no primeiro ano, e era a unica aula as 9 da manha que ia bem disposta para.

faa aa disse...

A minha melhor amiga estuda psicologia e já me explicou bem como as coisas são. Vai-me contando as cenas mais interessantes pois sabe que também me interesso com o assunto.
Mas seria complicado para mim estudar isso.. até porque eu nunca gostei de estudar. Eu nunca fui bem disposto para alguma aula, gostando ou não xD

FireHead disse...

O problema é que a psicologia é o curso que manda mais gente para o desemprego em Portugal. Em segundo lugar vem Direito.

faa aa disse...

Bem verdade, anda todo sem trabalho apesar de toda a gente andar a precisar de psicólogos.

Mary Jane disse...

Lê o meu blog :) Diz que sou psi e que assim muito subtilmente vou falando do que se passa na cabeça das pessoas! E a teoria de que falavam é só no ciclo básico (um só muito grande, vá), mas a partir do 4º ano começa tudo a ficar mais prático.